www.centrocelsofurtado.org.br


3º Congresso Internacional - Clipping de notícias, fotos e vídeos


Imprimir



 
 APRESENTAÇÕES    |    VÍDEOS    |    FOTOS    |    CLIPPING DE NOTÍCIAS
 
 
 
 
 
 
O Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento, em parceria com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), realizou a terceira edição de seu Congresso Internacional. Diferente das outras edições, que tiveram como base o Rio de Janeiro, sede do Centro, neste ano ele foi realizado em Manaus.
 
Acesse aqui o Clipping de Notícias do 3º Congresso Internacional
(.pdf 9,5Mb)
 
Mauro Sá, Roberto Saturnino Braga, Thomaz Nogueira, Marcia Perales Silva, Marcos Cavalcanti, Sylvio Puga, Rosa Freire d'Aguiar e Jorge Habib El Khouri
 
 
A partir do tema geral "Amazônia Brasileira e Pan-Amazônia: Riqueza, Diversidade e Desenvolvimento Humano" foram realizados nove painéis e três conferências durante os dias 15 e 16 de setembro de 2016, no campus da UFAM. Durante esses dois dias de intensa programação, com um ótimo público presente - ao todo contamos com quase 300 participantes, foi possivel aprofundar o debate sobre diversos temas da rica agenda da Amazônia, compreender a região em sua pluralidade de questões e instar por políticas públicas capazes de mobilizar corações e mentes para moldar um processo de desenvolvimento específico e que considere também as especificidades locais.
 
O diretor-presidente do Centro Celso Furtado, Roberto Saturnino Braga, deu as boas-vindas e agradeceu a acolhida e o empenho da organização na realização do Congresso em meio aos desafios que foram colocados no caminho. Saudou Rosa Freire d'Aguiar, membro do Conselho Deliberativo do Centro Celso Furtado; e o representante de Itaipu Binacional, patrocinadora do Congresso, Jorge Habib El Khouri, superintendente de engenharia.
 
Saudou ainda, salientando a importância de suas presenças para a ampliação do debate na cidade e na região, das representações do Governo do Estado do Amazonas, na figura do Secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tencologia, Thomaz Nogueira; e da Prefeitura de Manaus, na figura do Procurador-Geral do Município, Marcos Cavalcanti. Ambos informaram ao público as preocupações dos dois níveis de governo com o desenvolvimento regional e consideraram boa a hora da realização do Congresso em Manaus, em tempo de renovar este debate que é premente para suas administrações.
 
A UFAM esteve presente com sua representação máxima, a magnífica reitora profª. Marcia Perales Silva, que além de declarar a abertura oficial do Congresso também agradeceu ao Centro Celso Furtado e revelou a importância de manter aberto o diálogo entre a academia, o poder público e o setor privado. Também estavam presentes os professores Sylvio Puga, diretor da Faculdade de Estudos Sociais, e Mauro Thury de Vieira Sá, professor de economia da UFAM e coordenador local do Congresso.
 
Logo após a cerimônia, a Embaixadora Maria Jacqueline Mendoza Ortega, Secretária-Geral da OTCA, realizou a Conferência Magna de Abertura, com o tema "La Panamazonía y la Cooperación para el Desarrollo", dando um amplo panorama do trabalho da OTCA, do escopo de projetos em vigor na região, além das características institcuionais da cooperação dara o desenvolvimento entre os países da Pan-Amazônia. A mesa foi mediada pela jornalista e tradutora Rosa Freire d'Aguiar, membro do Conselho Deliberativo do Centro Celso Furtado.
 
Embaixadora Maria Jacqueline Mendoza Ortega e Rosa Freire d'Aguiar
 
Recebemos, em seguida, uma mensagem do Secretário-Geral da Unasul, Ernesto Samper, que estava programado para a abertura e não pode comparecer. No vídeo gravado em seu gabinete, em Quito, o ex-presidente da Colombia também nos brindou com explicações da importância do debate para a região e para a integração.
 
No dia 15 de setembro tivemos ainda a realização dos três primeiros painéis e de uma homenagem ao poeta Thiago de Mello. No dia 16 de setembro realizamos os outros 6 painéis, além de duas conferências magnas, pela manhã com o General de Exército Geraldo Antonio Miotto, Comandante Militar da Amazônia, e, pela noite, o encerramento com o Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto, que dentre outras atividades é presidente do Conselho Deliberativo do Centro Celso Furtado.
 
Houve, nos dois dias, uma inesperada falta de luz. Isso, contudo, não desanimou os palestrantes e conferencistas, que cotinuaram a programação normalmente. Todas as mesas foram gravadas e os vídeos começarão a ser disponibilizados no nosso Canal do YouTube (www.youtube.com/CentroCelsoFurtado1). 
 
Cerimônia de abertura
 
Conferência Magna de Abertura
 
 
No dia 15 de setembro ocorreram os três primeiros painéis. O primeiro foi intitulado A Pan-Amazônia e a Amazônia brasileira e atingiu o objetivo de analisar as interações existentes entre as dinâmicas de desenvolvimento de toda a Pan-Amazônia. Foi coordenado pelo experiente jornalista, economista e articulista manauara, Osiris Silva, e teve como palestrantes Rosalia Arteaga, que é ex-presidente do Equador e ex-secretária-geral da OTCA, e Pedro Silva Barros, que é diretor econômico da União de Nações Sul-Americanas - Unasul.
 
Painel 1
 
No Painel 2 o debate foi sobre a Saúde dos povos tradicionais. Na mesa estavam o prof. José Carlos Tavares, da Universidade Federal do Amapá, a prof. Evelyne Marie Therese Mainbourg, da UFAM e pesquisadora da Fiocruz-Amazônia, e a dra. Regina Célia de Rezende, que é diretora do Departamento de Atenção à Saúde Indígena – DASI, do Ministério da Saúde. Sob coordenação da prof. Helena Lastres, da RedeSist-IE da Federal do Rio de Janeiro, os especialistas revelaram o estado da arte das pesquisas em torno da saúde de povos indígenas e dos ribeirinhos, as estruturas de atendimento, os alcances e deficiências do sistema.
 
Painel 2
 
No Painel 3, Questões do direito: biotecnologia, direito ambiental e questão fundiária a proposta do diretor do Centro Celso Furtado. professor da USP e coordenador da mesa, Gilberto Bercovici, foi debater as questões jurídicas sobre temas latentes na região amazônica, como a biotecnologia, o direito ambiental e a questão fundiária, assim como temas correlatos que cada item enseja. Os palestrantes convidados foram: Alessandro Octaviani, professor da USP, Girolamo Domenico Treccani, professor da UFPA, e Solange Teles da Silva, professora da Makenzie-SP. Eles buscaram ampliar essas questões dando a conhecer exemplos dos múltiplos problemas jurídicos que envolvem posse e poder de uso da terra e as questões colocadas pelo contato entre tecnologia e meio ambiente.
 
 Painel 3
 
 
Em sua Conferência Magna, na manhã do dia 16 de setembro, o General Geraldo Antonio Miotto, Comandante Militar da Amazônia, mediado por Roberto Saturnino Braga, diretor-presidente do Centro Celso Furtado, expôs o tema O desenvolvimento da Amazônia e a soberania nacional.
 
 
Conferência Magna - General Geraldo Miotto
 
 
O Painel 4,  Ciência e desenvolvimento na Amazônia, contou com a coordenação de Adalberto Val (INPA) para discutir a importância da ciência para compreensão e conservação da Amazônia e também para ensejar tecnologias de fins produtivos e de modo sustentável. Foi destacada a relevância para os projetos estruturantes e para as pesquisas de cunho estratégico, assim como, para o capital intelectual da região. Participaram da mesa, Antonio Carlos Filgueira Galvão (CGEE), Ennio Candotti (Museu da Amazônia) e Pedro Celestino da Silva Pereira Filho (Presidente/Clube de Engenharia).
 
Painel 4
 
O tema Cadeias globais de valor, Áreas Econômicas Especiais e inserção da Amazônia foi debatido no Painel 5. Tratou-se da dificuldade de inserção da produção amazônica nas grandes cadeias internacionais de valor, assim como se ressaltou a importância das áreas econômicas especiais como estratégia de desenvolvimento. Como palestrantes estavam Cristina Fróes de Borja Reis (UFABC), Jean Marc Siröen (Université Paris 9-Dauphine) e a Superintendente da Suframa, Rebecca Garcia. A coordenação da mesa ficou a cargo do prof. Salomão Neves (UFAM).
 
Painel 5
 
O Painel 6 foi o primeiro da tarde do dia 16 de setembro. Com o tema da Desindustrialização e (re) industrialização: no Brasil e implicações para a Amazônia foi ressaltada, além do panorama atual e das perspectivas, a necessidade de se refletir continuamente sobre a especificidade do desenvolvimento e do desenho industrial da Amazônia e como os modelos aplicados até hoje se constituíram de forma diferente das demandas econômicas e sociais da região. A mesa foi coordenada pela prof. Kamilla Loureiro e Silva (UFAM) e contou com os professores Mauro Thury de Vieira Sá (UFAM) e Marta dos Reis Castilho (IE/UFRJ).
 
Painel 6
 
 
 
Os potenciais hídricos da Amazônia e o futuro energético do Brasil foi o tema do Painel 6, que contou com as palestras de Jorge Habib Hanna El Khouri, superintendente de Itaipu Binacional (patrocinadora do 3º Congresso), Rubem Cesar Rodrigues Souza (CDEAM/UFAM) e Marcelo Diniz (UFPA), que também coordenou a mesa. O rico debate e os números apresentados, com a volta do luz na universidade, demonstram a capacidade de expansão e a ainda defasada utilização do potencial na Amazônia.
 
Painel 7
 
 
No Painel 8 o tema foi Arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais: meio de inclusão social e desafios de sua sustentação, além do debate sobre as múltiplas possibilidades dos ASPIL e sua relação com o desenvolvimento da Amazônia, foram apresentados diversos estudos de sua aplicação na região. Como palestrantes tivemos Valdenei de Melo Parente (UFAM/FES), que também coordenou a mesa, José Cassiolato (Redesist/IE/UFRJ), José Sandro da Mota Ribeiro (Departamento de Desenvolvimento Regional/SEPLAN-CTI/AM), Elenice Assis do Nascimento (Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá).
 
Painel 8
 
 
 
O Painel 9 teve o tema Amazônia e pacto federativo: questões tributárias, repartição de receitas, diretrizes orçamentárias e contingenciamentos e tornou-se uma conferência do prof. Eduardo Monteiro da Costa, da UFPA e diretor-presidente da FAPESPA - Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Estado do Pará, pois, infelizmente, os outros componentes da mesa não puderam comparecer. A mesa foi coordenada por Ronney Cezar Campos Peixoto (SEPLAN-CTI). O professor ressaltou que a Amazônia, vista ainda de forma caricatural, permanece na periferia do interesse estratégico da federação brasileira e como o arranjo federativo perpetua essa situação. Relembrou Armando Mendes, importante amazônida e pensador da região.
 
Painel 9
 
 
A conferência de encerramento ficou a cargo do Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto, que dentre outras atividades é presidente do Conselho Deliberativo do CICEF, que debateu o tema A política externa e a Amazônia e teve mediação da jornalista e tradutora, Rosa Freire d'Aguiar (Conselho Deliberativo/CICEF). O Embaixador ressaltou a importância para a análise da política externa brasileira, sobretudo ao tratar da região amazônica, da posição geográfica, da fronteira e da integração com os países limítrofes.
 
 
 
Conferência de Encerramento
 
 
O Centro Celso Furtado realizou ainda um Ato cultural em homenagem ao poeta Thiago de Mello.
 
Homenagem ao poeta Thiago de Mello
 
 
 
Aos que estiveram presentes, comunicamos que os certificados serão enviados a partir da próxima semana. Também publicaremos as apresentações dos palestrantes que disponibilizaram.
 
 
 
Fotos (Crédito: Zacarias Lima/Centro Celso Furtado):
 
     
 Cerimônia de Abertura    Embaixadora Maria Jacqueline Mendoza Ortega e Rosa Freire d'Aguiar    Audiência    Painel 1
     
 Rosalia Arteaga    Pedro Silva Barros    Osiris Silva, Saturnino Braga, Rosalia Arteaga, Pedro Silva Barros    Painel 2
         
 José Carlos Tavares, Helena Lastres, Regina Rezende, Eveline Mainbourg    Alessandro Octaviani    Solange Teles da Silva, Alessandro Ocataviani, Gilberto Bercovici, Girolamo Treccani    Com a falta de luz na UFAM, a homenagem ao poeta Thiago de Melo foi feita no hotel.
             
 Rosa Freire d'Aguiar, Thiago de Melo, saturnino Braga    Rosalia Arteaga, poeta Thiago de Melo, Saturnino Braga    Thiago de Melo recebe uma placa do Centro Celso Furtado    Placa de Thiago de Melo
             
 Conferência - General Geraldo Miotto    Pedro Celestino, Adalberto Val, Ennio Candotti, Antonio Galgão    Rebecca Garcia, Saloão Neves, Jean-Marc Siroen, Cristina Reis    Rebecca Garcia, superintendente da Suframa
             
 Elenice Nascimento, Valdenei Parente, José Sandro Ribeiro, José Cassiolato    Marta Castilho, Kamilla Loureiro e Silva, Mauro Thury    Audiência  

 Rubem Cesar Rodrigues Souza, Marcelo Diniz, Jorge Habib El Khouri

             
Painel 9 - Ronney Peixoto e Eduardo Monteiro da Costa    Conferência de encerramento - Rosa Freire d'Aguiar e Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto   Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto     Exposição e venda de livros
             
 Apoio do Centro Acadêmico na organização e credenciamento do Congresso   Credenciamento e coffe-break    Credenciamento e coffe-break    Credenciamento e coffe-break
             
             
             
             
 
 

 Apresentações: 

 



 

 

 

 

Já estão abertas as inscrições para o 3º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado, com o tema "Amazônia Brasileira e Pan-Amazônia: Riqueza, Diversidade e Desenvolvimento Humano", que ocorrerá nos dias 15 e 16 de setembro de 2016. Esta edição do congresso, que já faz parte da programação regular do Centro, será realizada em Manaus, em parceria com a Universidade Federal do Amazonas - UFAM, e contará com o patrocínio da Itaipu Binacional.

O desenvolvimento da Amazônia sempre foi considerado, salvo em poucos e curtos períodos, como uma questão meramente regional. Com o advento das questões ecológicas como condicionantes do desenvolvimento global a região tornou-se item regular nas preocupações internacionais, em face dos efeitos que seu comprometimento ambiental pode ter nos ciclos biogeoquímicos do planeta. De questão regional tornou-se questão internacional sem ter sido, de forma efetiva, questão brasileira.

É hora de assumir esta responsabilidade e formular diretrizes para um processo de desenvolvimento sustentável da Amazônia que respeite os condicionantes ecológicos, que propicie melhorias na qualidade de vida de seu povo, que possibilite a mobilização de seu imenso patrimônio biológico, mineral, energético, e de conhecimento autóctone, como capital estratégico gerador de riqueza. Tal processo precisa se fundamentar em Ciência, Tecnologia e Inovação (C&T&I) comprometidas com a geração e uso econômico do conhecimento, em natural associação a toda a Pan-Amazônia.

Torna-se, pois, necessária a busca de novas abordagens visando perspectivas mais duradouras na direção da sustentabilidade do desenvolvimento. O fazer científico na e sobre a Amazônia precisa estender suas conquistas para o equacionamento desse grande desafio: produzir e usar adequadamente tecnologia e inovação para dar sustentação a uma economia saudável ambientalmente e justa socialmente.

E ainda, o desenvolvimento da Amazônia Brasileira não pode ocorrer em desconexão com as porções amazônicas dos demais países que a integram. Há outros vínculos com potenciais virtuosos entre o Brasil e os demais países da Pan-Amazônia: cultura e história comuns, um mercado relevante para trocas internacionais, a condição de serem fronteira de recursos e região pivô da agenda geopolítica internacional.

Portanto, a Amazônia Brasileira, a princípio tratada como um problema regional e “extra-muros”, eleva-se à categoria de desafio em escala global. Tornou-se imperativo, agora, sua inclusão definitiva e estratégica a ser realizada pelo processo integral de desenvolvimento brasileiro. Repete-se na Pan-Amazônia esse viés de questão especificamente ambiental. Para superar essa limitação, a região deve ganhar densidade e inclusão nos programas internacionais das agências multilaterais de desenvolvimento. Esta imensa região geopolítica da América do Sul precisa possuir uma visão socioeconômica abrangente na busca do aumento dos padrões de qualidade de vida, dos assentamentos urbanos, rurais e florestais.

O 3º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado debaterá essa temática, buscando na intelligentsia de seus quadros e parceiros de todas as latitudes o suporte cognitivo para refletir e propor soluções de políticas públicas sobre tão importante desafio. Há, para tal empreitada, além da produção atual de tantos especialistas nacionais e internacionais, como foi Bertha Becker, o legado do patrono, Celso Furtado, com suas contribuições teórico-metodológicas, passando pelas referências regionais, como Armando Mendes e Samuel Benchimol. Somam-se as contribuições de latino-americanos cepalinos com atuação longeva desde Raúl Prebisch em prol do desenvolvimento da América Latina.

A Universidade Federal do Amazonas, fica na Av. General Rodrigo Octávio, 6.200, no bairro Coroado, em Manaus. O evento é público e gratuito, mas para participar é preciso solicitar a inscrição no site www.centrocelsofurtado.org.br/congresso2016.

 

Comissão Organizadora
 
  Roberto Saturnino Braga (CICEF) - Formado em engenharia civil e econômica, com cursos da CEPAL e do ISEB. Foi funcionário do BNDES. Foi vereador, deputado federal e senador por três mandatos, tendo sido o primeiro prefeito do Rio de Janeiro eleito pelo voto direto do povo. É escritor. Preside o Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento e o Instituto Cultural Casa Grande. 
 
  José Alberto da Costa Machado (UFAM) - Doutor em Desenvolvimento SocioAmbiental, Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação, Graduado em Administração de Empresas e Economista Emérito. Professor Associado, Nível IV, do Departamento de Economia e Análise, da Faculdade de Estudos Sociais, da Universidade Federal do Amazonas, aposentado; Diretor de Planejamento do Ministério Público do Estado do Amazonas - Procuradoria Geral de Justiça.
 
  Manuel Marcos Maciel Formiga (UnB) - Possui Graduação e Mestrado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE. Graduado em Educação Internacional pela Universidade de Londres. Foi professor adjunto da UFPE até 1989. Atualmente é professor da Universidade de Brasília - UnB (Assessoria do reitor). Professor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. 
 
  Mauro Thury Vieira Sá (UFAM) - Economista com doutorado pelo IE/Unicamp, professor do Departamento de Economia e Análise (DEA) e líder do Grupo de Pesquisa em Economia Industrial, Internacional e da Tecnologia (Getit), ambos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Membro da RedeSist. Bolsista Fapeam no âmbito do Pró-Estado (projeto Plano Estratégico de Desenvolvimento do Amazonas 2012-2030).
 
 

Roberto Ramos Santos (UFRR) - Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco, mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos e doutorado em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor associado III da Universidade Federal de Roraima. Tem experiência na área de Ciência Política.
 

  Glauber Cardoso Carvalho (CICEF) - Mestre em Economia Política Internacional (IE/UFRJ-2013). Graduado em Relações Internacionais (Unesa-2005). Possui especialização em Comércio Exterior (Unesa-2007), com extensão em Didática do Ensino Superior, e em Análise Internacional (MBE/UFRJ-2010). Atualmente é Coordenador Executivo do Centro Celso Furtado e doutorando em Economia Política Internacional (IE/UFRJ).
 

  

 

Serviço

Data:
15 e 16 de setembro de 2016

Local:
Universidade Federal do Amazonas - UFAM
Auditório Rio Amazonas - Faculdade de Estudos Sociais
Av. General Rodrigo Octávio, 6.200
Campus Universitário Sen Arthur Virgílio Filho, Setor Norte
Bairro: Coroado I; CEP: 69077-000

 

PROGRAMA
 
Atualizado em: 09/09/2016
 
15 de setembro | Quinta-feira
 
MANHÃ  
9h
 
Credenciamento
10h
às
10h30
Auditório 
Solenidade de Abertura e Ato Cultural

Solenidade de Abertura
Roberto Saturnino Braga (Diretor-Presidente/CICEF)
Rosa Freire d'Aguiar Furtado (Conselho Deliberativo/CICEF)
Marcia Perales Mendes Silva (Reitora UFAM)
Sylvio Puga (Diretor/Faculdade de Estudos Sociais – UFAM)
Jorge Habib Hanna El Khouri (Superintendente de Engenharia/Itaipu Binacional)
Autoridades convidadas
 
10h30 Auditório
Conferência Magna de Abertura
 
Panamazonía y el futuro de America de Sur
  • Embaixadora María Jacqueline Mendoza Ortega (OTCA)
Mediação: Rosa Freire d'Aguiar Furtado (Conselho Deliberativo/CICEF)
12h
às
14h
 
 Almoço
TARDE    
14h
às
16h
Painel 1
 A Pan-Amazônia e a Amazônia brasileira
Análise das interações existentes entre as dinâmicas de desenvolvimento de toda a Pan-Amazônia.
Coordenador: Osiris Silva
Palestrantes:
Theotônio dos Santos (UERJ-Unesco)
Rosalia Arteaga (ex-presidente do Equador)
Pedro Silva Barros (Unasul)
 
16h15
às
18h15
Painel 2  Saúde dos povos tradicionais
Como aliar saúde e desenvolvimento no contexto amazônico dos povos tradicionais, cuidando da proteção, mas, entendendo os processos naturais que emanam da floresta.
Coordenador: Helena Maria Martins Lastres (RedeSist, IE/UFRJ)
Palestrantes:
José Carlos Tavares (Unifap)
Evelyne Marie Therese Mainbourg (UFAM/Fiocruz-Amazônia)
Regina Célia de Rezende (Departamento de Atenção à Saúde Indígena – DASI)
16h15
às
18h15
 Painel 3
Questões do direito: biotecnologia, direito ambiental e questão fundiária
Debater as questões jurídicas sobre temas latentes na região amazônica, como a biotecnologia, o direito ambiental e a questão fundiária, assim como temas correlatos que cada item enseja.
Coordenador: Gilberto Bercovici (CICEF/USP)
Palestrantes:
Alessandro Octaviani (USP)
Girolamo Domenico Treccani (UFPA)
Solange Teles da Silva (Makenzie)
 
18h30   Ato Cultural
  • Thiago de Mello
    Homenagem ao Poeta da Floresta 

    Homenagem ao economista Celso Furtado
19h30  
Confraternização

16 de setembro | 6ª feira
 
MANHÃ    
 9h 
às
10h30
Conferência Magna
O desenvolvimento da Amazônia e a soberania nacional
Apresentar o cenário das circunstâncias que permeiam a segurança, a proteção e o desenvolvimento da Amazônia e as implicações para a soberania nacional.
Coordenador: Roberto Saturnino Braga (Diretoria/CICEF)
Palestrante: General de Exército Geraldo Antonio Miotto (Comandante Militar da Amazônia)
10h40
às
12h30
 Painel 4
Ciência e desenvolvimento na Amazônia 

Discutir a importância da ciência para compreensão e conservação da Amazônia e também para ensejar tecnologias de fins produtivos e de modo sustentável 

Coordenador: Adalberto Val (INPA)

Palestrantes:
Antonio Carlos Filgueira Galvão (CGEE)
Ennio Candotti (Museu da Amazônia)
Pedro Celestino da Silva Pereira Filho (Presidente/Clube de Engenharia)
 
 10h40
às
12h30
Painel 5
Cadeias globais de valor, Áreas Econômicas Especiais e inserção da Amazônia
Debater sobre as possibilidades de inserção da produção amazônica nas grandes cadeias internacionais de valor e as possibilidades das áreas econômicas especiais como estratégia de desenvolvimento da Amazônia.
Coordenador: CIEAM
Palestrantes:
Cristina Fróes de Borja Reis (UFABC)
Jean Marc Siröen (Université Paris 9-Dauphine)
Rebecca Garcia (Suframa)
12h30
ás
14h
  Almoço

TARDE
   
14h
às
16h
Painel 6
Desindustrialização e (re) industrialização: no Brasil e implicações para a Amazônia

Discutir o panorama atual e perspectivas da desindustrialização e (re) industrialização no Brasil e como tais dinâmicas interagem com o desenvolvimento da Amazônia

Coordenador: Nelson Azevedo Santos (FIEAM)

Palestrantes:
Mauro Thury de Vieira Sá (UFAM)
Marta dos Reis Castilho (IE/UFRJ)
14h
às
16h
Painel 7
Os potenciais hídricos da Amazônia e o futuro energético do Brasil
Futuro energético hídrico e mineral do Brasil e da Amazônia
Coordenador: Marcelo Diniz (UFPA)
Palestrantes:
Jorge Habib Hanna El Khouri (Itaipu Binacional)
Rubem Cesar Rodrigues Souza (CDEAM/UFAM)
 16h15
às
18h15
Painel 8
Arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais: meio de inclusão social e desafios de sua sustentação

Debater o papel e as possibilidades dos ASPIL em relação ao desenvolvimento da Amazônia.
 
Palestrantes:
José Cassiolato (Redesist/IE/UFRJ)
José Sandro da Mota Ribeiro (Departamento de Desenvolvimento Regional/SEPLAN-CTI/AM)
Elenice Assis do Nascimento (Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá)
16h15
às
18h15
Painel 9
Amazônia e pacto federativo: questões tributárias, repartição de receitas, diretrizes orçamentárias e contingenciamentos

Discutir os efeitos sobre o desenvolvimento da Amazônia decorrentes das políticas vigentes relacionadas com repartição de receitas, contingenciamentos, diretrizes orçamentárias e similares.

Coordenador: Ronney Cezar Campos Peixoto (SEPLAN-CTI)

Palestrantes:
Claudio Alberto Castelo Branco Puty (UFPA)
Eduardo Monteiro da Costa (UFPA)
José Alberto da Costa Machado (MPE-AM)
 18h30
às
19h30
Auditório
Conferência Magna de Encerramento
 
A política externa e a Amazônia
  •  Embaixador Samuel Pinheiro Guimarães Neto (Conselho Deliberativo/CICEF)
Mediação: Rosa Freire d'Aguiar Furtado (Conselho Deliberativo/CICEF)

 

Notícias

ONU alerta para a situação crítica dos índios no Brasil
A relatora especial da ONU para os Direitos dos Povos Indígenas lamentou o que chamou de “ausência de progresso” na proteção dos direitos dos povos indígenas no país. As declarações constam em relatório do secretário-geral das Nações Unidas enviado à Assembleia Geral.
 
Os desafios para o desenvolvimento da Amazônia
Terceiro Congresso do Centro Celso Furtado quer discutir agenda que vá além da questão preservacionista e aponte saídas para as demandas econômicas da região.
 
Elementos relevantes do cenário regional
Proposta é trazer para a discussão do 3º Congresso do Centro Celso Furtado a importância que a questão da Amazônia tem para o desenvolvimento de toda a região.
 
Alguns desafios recorrentes da agenda amazônica
A formulação de diretrizes que deem unidade à busca por desenvolvimento na Amazônia requer respostas para desafios que são indissociáveis de sua agenda, como os que seguem.
 





Centro Celso Furtado © 2006 - Todos os direitos reservados