www.centrocelsofurtado.org.br


2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado: Um novo desenvolvimento para uma nova democracia


Imprimir



Leia o clipping das notícias do Congresso.



  Estão encerradas as inscrições para o 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado, que será realizado de 18 a 20 de agosto deste ano no Centro de Estudos do BNDES, no Rio de Janeiro.

O tema desta edição do Congresso é Um novo desenvolvimento para uma nova democracia, e dentre as participações estrangeiras estão confirmados, como conferencistas, José Antonio Ocampo e Deepak Nayyar.

Veja abaixo o programa completo dos três dias do evento.

 

SOBRE O ESPÍRITO DO SEGUNDO CONGRESSO INTERNACIONAL DO CENTRO CELSO FURTADO
 
O 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado vai se realizar num momento de demoradas dificuldades econômicas e inquietação social nos países mais ricos, compondo um quadro de impasses e descrença no sistema político tradicional, demandando novas formulações da Democracia.

No Brasil, o momento é também de algum embaraço na economia e, sobretudo, de tensões políticas marcadas por manifestações de inconformidade popular nas ruas e pelo clima de disputa eleitoral próxima.
Em resposta às demandas desse quadro nacional e mundial, o Centro Celso Furtado decidiu orientar o seu Congresso para o tema “Um Novo Desenvolvimento para uma Nova Democracia”, em busca de ideias, sugestões e proposições que apontem para o caminho de novos paradigmas de organização política e econômica para as sociedades do século XXI.
A ousadia da proposta, que obviamente deve ser temperada com a maturidade do pensamento típico de Celso Furtado, tem fundamento na situação especial vivida pelo Brasil no momento, e na atenção mundial de que vem sendo alvo. O Brasil é uma nação de grandes dimensões territoriais, demográficas a econômicas, é um dos emergentes do novo século e tem uma liderança incontestada no continente sul-americano, politicamente bastante inovador nos tempos recentes; é um país que superou definitivamente o período de golpes e ditaduras e consolidou o regime democrático, realizando um feito incomum, a eleição para a Presidência de um torneiro mecânico que obteve grande aprovação.
O Brasil tem experiências bem-sucedidas de democracia participativa, em governos locais como Rio de Janeiro e Porto Alegre, e no governo federal com a importância da contribuição dos conselhos setoriais e as conferências nacionais. Essa nova dimensão democrática está também na ligação histórica do seu maior partido, o PT, com os movimentos sociais organizados, e nas manifestações de rua multiplicadas recentemente. O Brasil tem uma tradição histórica de solução negociada de conflitos, de defesa permanente e consistente da Paz, de participação construtiva na Organização das Nações Unidas (ONU), uma nação que nunca aspirou a ser potência militar, mas sempre ser uma grande Potência da Paz.
Estas são as linhas que definem o espírito do 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado; linhas projetadas pelo pensamento de seu mestre inspirador, que o Centro espera sejam consideradas, de forma objetiva, crítica e propositiva, pelos seus participantes e convidados.
 
Comissão organizadora
Amélia Cohn (USP)
Ana Célia Castro (UFRJ)
Carlos Pinkusfeld Bastos (UFRJ)
Lena Lavinas (IE-UFRJ)
Marcos Dantas (UFRJ)
Pedro de Souza (Centro Celso Furtado)

 

PROGRAMA
Atualizado em: 15/agosto
 
18 de agosto | 2ª feira
 
MANHÃ
 
9h-10h Térreo
Credenciamento
 
10h-10h30
 
Auditório
Tradução simultânea
Abertura
Luciano Coutinho (BNDES)
Rosa Freire d'Aguiar (Centro Celso Furtado)
Roberto Saturnino Braga (Centro Celso Furtado)
 
10h30-11h15 Auditório
Tradução simultânea
CONFERÊNCIA
Um novo desenvolvimento para uma nova democracia
José Antonio Ocampo (Columbia University)
 
11h15-12h30
 
Sala 801
A relação entre democracia e desenvolvimento no antigo e no novo desenvolvimentismo
Wilson Vieira (Unipampa) (Coord.)
Theotonio dos Santos (UFF e Uerj)
Vera Alves Cepêda (UFSCar)
 
Sala 802
Ciência, tecnologia e inovação: desafios para a competitividade
Luiz Martins de Melo (Finep) (Coord.)
José Eduardo Cassiolato (UFRJ)
Luiz Antônio Elias (BNDES)
 
Sala 804
Desindustrialização na América Latina
Carlos Henrique Horn (UFRGS e BRDE) (Coord.)
Arturo Guillén (UAM-I)
Wilson Cano (Unicamp)
 
TARDE

13h30-15h30 Auditório
Tradução simultânea
Para onde vãos os Brics
Marcos Costa Lima (UFPE) (Coord.)
Anna Jaguaribe (UFRJ)
Daniel Aarão Reis Filho (UFF)
Deepak Nayyar (Jawaharlal Nehru University)
 
Sala 801
Mercado de trabalho, política social e heterogeneidade estrutural na América Latina
Lena Lavinas (UFRJ) (Coord.)
Cristina Cacciamali (USP)
Mario Velasquez (Ministerio de Trabajo y Previsión Social, Chile)
Rubén Lo Vuolo (Ciepp, Argentina)
 
Sala 802
Desafios do novo desenvolvimentoMárcio Pochmann (Fundação Perseu Abramo) (Coord.)
Ademar Ribeiro Romeiro (Unicamp)
Luiz Carlos Bresser-Pereira (FGV-SP)
 
Sala 804
Propostas para o futuro da educação no Brasil
Claudio Salm (UFRJ) (Coord.)
Romualdo Portela (USP)
Sergio Haddad (Ação Educativa)
 
16h-18h Auditório
Tradução simultânea
 
 
 
 
 
 
 

Sala 801
História e desempenho econômico brasileiro: perspectivas furtadianas
Mauro Boianovsky (UnB) (Coord.)
Jaques Kerstenetzky (UFRJ)
Luiz Carlos Delorme Prado (UFRJ) 
Maurício Coutinho (Unicamp)
José Octávio de Arruda Mello - Homenagem a Helio Jaguaribe
 
O Nordeste na construção do Brasil do futuro
Francisco das Chagas Soares (BNB) (Coord.)
Ana Cristina Fernandes (UFPE)
Henrique Jorge Tinôco de Aguiar (Sudene)
Inez Silvia Batista Castro (UFC)
Jair do Amaral Filho (UFC)
 
Sala 802
Comunicação e desenvolvimento
Marcos Dantas (UFRJ) (Coord.)
Cesar Bolaño (UFS)
George Kornis (Uerj)
 
   
     
19 de agosto | 3ª feira
 
MANHÃ
 
9h-10h
 
10h-10h45
Térreo
 
Auditório
Credenciamento
 
CONFERÊNCIA
Brics: Um novo fundo monetário e um novo banco de desenvolvimento

Paulo Nogueira Batista (Fundo Monetário Internacional)
 
10h45-12h45 Auditório
O centenário de Ignácio Rangel
Roberto Saturnino Braga (Centro Celso Furtado) (Coord.)
Luiz Carlos Bresser-Pereira (FGV-SP)
Maria da Conceição Tavares (UFRJ e Unicamp)
Maria Malta (UFRJ)

O centenário de Rômulo Almeida
Marcos Costa Lima (UFPE) (Coord.)
Alexandre de Freitas Barbosa (USP)
Roberto Smith (Adece)
 
TARDE
 
   
13h45-15h45 Auditório
Análise de cenários com base em incertezas críticas
Tania Bacelar (UFPE) (Coord.)
Cláudio Figueiredo Leal (BNDES)
Francisco José Araújo Bezerra (BNB)
Marcio Percival Alves Pinto (Caixa)
Paulo Roberto Rodrigues Evangelista (Eletrobras)
Rômulo do Couto Alves (Petrobras)
 
Sala 801
Energia para um novo modelo de desenvolvimento
André Furtado (Unicamp) (Coord.)
Adilson de Oliveira (UFRJ)
Roberto Pereira D'Araújo (Ilumina)
Sergio Valdir Bajay (Unicamp)
   
Sala 802
Dilemas do desenvolvimento e da democracia no Brasil do século XXI
Pedro Paulo Zahluth Bastos (Unicamp) (Coord.)
Marcus Ianoni (UFF)
Pedro Dutra Fonseca (UFRGS)
Ricardo Bielschowsky (UFRJ)
 
16h-18h Auditório
A nova democracia no século XXI
Roberto Saturnino Braga (Centro Celso Furtado) (Coord.)
Alessandro Pinzani (UFSC)
Gabriel Cohn (USP e Unifest)
José Sergio Leite Lopes (UFRJ)
Vicente Carlos Y Pla Trevas (Prefeitura de SP)
 
Sala 801
Integração da América do Sul enquanto projeto de desenvolvimento comum
José Carlos de Assis (UEPB) (Coord.)
Aldo Ferrer (Universidad de Buenos Aires)
Maria Fernanda Ramos Coelho
Samuel Pinheiro Guimarães (Instituto Rio Branco)
 
Sala 802
Capacidades estatais nos Brics
Alexandre Gomide (Ipea) (Coord.)
Ana Célia Castro (UFRJ)
Flávio Gaitán (Unila)
Renato Boschi (Uerj)
 
Sala 804
O federalismo brasileiro: dinâmicas recentes e novos desafios
Ricardo Ismael (PUC-Rio) (Coord.)
Aristides Monteiro Neto (Ipea)
Carlos Brandão (UFRJ)
Constantino Cronemberger Mendes (Ipea)
 
 18h30-21h
Livraria Cultura
Lançamento de livros e filme
(Rua Senador Dantas, 45 - Centro)
 
 
20 de agosto | 4ª feira
 
MANHÃ
 
   
9h-10h Térreo
Credenciamento
 
10h-10h45 Auditório
Tradução simultânea
CONFERÊNCIA
Globalização e democracia
Deepak Nayyar (Jawaharlal Nehru University)
 
10h45-12h45 Auditório
Tradução simultânea
O financiamento do desenvolvimento
João Carlos B. de Melo (Coord.)
Fernando Cardim (UFRJ)
João Carlos Ferraz (BNDES) 
Nelson Barbosa (Eesp/Ibre-FGV)
 
Sala 801
A questão social e os desafios do desenvolvimento 
Dulce Pandolfi (FGV-RJ) (Coord.)
Amélia Cohn (USP)
Eduardo Fagnani (Unicamp)
Gilberto Bercovici (USP) 
 
Sala 802
Consumo de massas e crescimento na América Latina
Carmem Feijó (UFF) (Coord.)
Carlos Medeiros (UFRJ)
Célia Lessa (UFF)
Luiz Fernando Rodrigues de Paula (Uerj)
 
Sala 804
Amazônia e desenvolvimento: C&T&I requerida, demandas da indústria e suportes para investimentos
José Alberto da Costa Machado (Ufam) (Coord.)
Ennio Candotti (Museu da Amazônia)
Marcos Formiga (UnB)
Mauro Thury (Ufam)
Oduval Lobato Neto (Banco da Amazônia)
 
TARDE
 
   
13h45-15h45 Auditório
Tradução simultânea
Mesa-redonda
2004-2014: a atualidade de Celso Furtado dez anos após sua morte
Rosa Freire d'Aguiar (Centro Celso Furtado) (Coord.)
Afrânio Garcia (Ehess)
Aldo Ferrer (Universidad de Buenos Aires)
Almino Affonso (Ex-Ministro do Trabalho)
Angelo Oswaldo de Araújo Santos (Instituto Brasileiro de Museus)
Carlos Brandão (UFRJ)
Luiz Felipe de Alencastro (Universidade de Paris e FGV-SP)
 
16h-17h40 Auditório
Exibição do filme
Um sonho intenso, de José Mariani (legendado em inglês)

 

 

NOTÍCIAS
Durante três dias, cerca de 300 participantes se reuniram no 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado para debater os rumos do desenvolvimento e da democracia
 
Diretor-presidente do Centro Celso Furtado, Roberto Saturnino Braga deixa mensagem aos participantes, patronos e colaboradores do 2º Congresso.
 
Mesa no terceiro dia do congresso do Centro Celso Furtado quer discutir agenda que vá além da questão preservacionista e aponte saídas para as demandas econômicas da região.
 
Proposta é trazer para a discussão do 2o Congresso do Centro Celso Furtado a importância que a questão democrática tem para as duas correntes de pensamento sobre o desenvolvimento.
 
Mesa sobre a questão social brasileira vai debater as conquistas dos governos recentes e os obstáculos ao pleno desenvolvimento do país no 2o Congresso do Centro Celso Furtado.
 
Ideia a ser apresentada em mesa do 2º Congresso do Centro Celso Furtado é industrializar na própria América do Sul recursos naturais da região para exportação com valor agregado.
 
Texto de Wilson Cano analisa a desindustrialização em marcha nos principais países desenvolvidos e em alguns subdesenvolvidos, com ênfase no caso do Brasil.
 
Mesa redonda acontecerá na tarde do dia 20 de agosto com participação de estudiosos e profissionais que acompanharam a carreira do economia e ex-ministro da Cultura.
 
Em artigo publicado no Jornal do Commercio, o diretor-presidente do Centro Celso Furtado Roberto Saturnino Braga escreve sobre temas que serão tratados no contexto do 2o. Congresso.
 
A falta de uma visão mais sistêmica do setor e de um papel mais atuante do Estado impedem o salto definitivo do país na área de ciência e tecnologia, apontam especialistas.
 
A Copa e seus ganhos bilionários serão tema de debate no 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado, que vai destacar a força da indústria criativa na economia atual.
 
Na pauta, as mudanças no perfil de renda da população, seu impacto nos padrões de consumo e na mobilidade social e suas consequências para o desenvolvimento.
 
Formuladores do moderno Estado brasileiro, os dois economistas terão sua trajetória lembrada durante o 2º Congresso, no ano de centenário de seu nascimento.
 
Quatro especialistas no tema vão apresentar e trazer para a discussão do 2º Congresso as diversas questões que compõem a agenda federativa da atualidade.
 
Mesa no 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado vai debater as contradições das políticas neoliberais implantadas por governos de centro-esquerda.
 

Filme de José Mariani, que conta a história do desenvolvimento brasileiro dos anos 1930 aos dias atuais, será exibido no encerramento do 2º Congresso Internacional do Centro Celso Furtado 






Centro Celso Furtado © 2006 - Todos os direitos reservados